segunda-feira, 21 de setembro de 2009

AS RUAS DA MINHA CIDADE (XIII) - RUA LEONEL FAGUNDES

A Rua tem esse nome em homenagem ao poeta LEONEL MUNIZ FAGUNDES, sobre quem existe enorme divergência quanto ao local e data de nascimento.
Nascido em Arroio Grande, para alguns, ou "nas cercanias do Herval", para outros (cfe. História do Herval(*), Manuel da Costa Medeiros - 1980 - pg. 275), na metade dos anos 1870, Leonel Fagundes faleceu a 21 de setembro de 1921, antes de completar 50 anos.
O pai de Leonel, Terêncio Muniz Fagundes, veio a residir em Arroio Grande, razão pela qual o seu filho mais novo acabou criando vínculos com a cidade, para onde regressaria (princípio de 1909) a fim de atuar como notário, transferindo o domicílio de Herval onde residia desde 1899, em razão de ter sido nomeado para minsitrar "aula do sexo masculino" naquela comunidade. Bacharel em Direito, Leonel Fagundes era considerado orador "eloquente e persuassivo", além de grande poeta, havendo colaborado para diversos jornais do Arroio Grande e da região, tendo os seus poemas (em sua maioria Sonetos) constado de diversas publicações de Pelotas e da capital do Estado.
Como curiosidade, registre-se que Leonel Fagundes era bisneto de Pedro Muniz Fagundes, o Pedro Canga - "O Embuçado do Herval" (Livro de Guilhermino César) - poeta nascido naquela Vila pelos idos de 1790 e falecido por volta de 1870, antes, portanto, do nascimento de Leonel, e para quem esta página ainda pretende dedicar algumas linhas no futuro, em razão da excepcional qualidade dos poemas de Pedro Canga e do mistério que envolve a sua personalidade.
A RUA:
A rua Leonel Fagundes é uma via extensa se comparada ás demais ruas do Arroio Grande, nos seus cerca de 1.500 metros, surgindo próximo à Av. N. Sa. das Graças, perto da estrada (RS) que segue para o Herval e estendendo-se até a Vila Vidal, no outro lado da cidade.
Possui, porém, uma peculiaridade, já que é "cortada" por um conjunto de pequenas casas, situadas entre às ruas Júlio de Castilhos e Osmar Machado, o que divide a Leonel Fagundes em duas paisagens; uma, mais central, próximo à Escola Aimone Carriconde (primeira foto - abaixo), e, outra, em direção à periferia (segunda foto), onde a infra-estrutura da via acaba deixando a desejar, como, de resto, acontece com a maioria das ruas das vilas da nossa cidade.

Rua Leonel Fagundes - Centro (acima) e periferia (abaixo) do Arroio Grande
(*) Na obra História do Herval, de Manuel da Costa Medeiros, constam pelo menos 15 sonetos de autoria de Leonal Fagundes, integralmente transcritos para conhecimento dos interessados.

2 comentários:

Jorge Passos disse...

Pedro , me manda teu email para poder enviar as fotos da solenidade com o Schlee.
manda para jorge.nevespassos@gmail.com

Publiquei algo no blog da confrariadospoetasdejaguarao.blogspot.com

Abraço

Pedro Jaime Bittencourt Junior disse...

Enviado o email, obrigado pelas fotos, Passos.
Já conferi o blog da confraria também.
Abço.