sexta-feira, 16 de maio de 2008

PODE ENCOMENDAR O TERNO, VEREADOR

O anúncio da instalação da Votorantin Celulose e Papel na Zona Sul do Estado, seja no Município de Rio Grande, ou aqui no nosso Arroio Grande, deverá realmente alterar a fisionomia da região, pois a indústria paulista promete investir pesado (cerca de 2 bilhões, dizem), o que garante um “aquecimento” em termos de geração de empregos, de dotação de infra-estrutura próximo à área de instalação, com a construção de casas, circulação de veículos, novas estradas, etc.
Entretanto, independentemente de onde venha a se instalar a sede da indústria – se do lado oeste, ou do lado de lá do Canal São Gonçalo – um “Município” já pode comemorar as transformações que deverá experimentar com a chegada da VCP na região, a médio e longo prazo.
Trata-se do “Novo Município” de Santa Isabel do Sul (ou que outro nome venha a ter), antiga Vila independente de Santa Isabel dos Canudos, ex-Distrito de Arroio Grande, e que deverá se emancipar em pouco tempo a fim de experimentar a nova situação econômica que a indústria de celulose deverá trazer aos ribeirinhos do São Gonçalo, tanto do lado leste (Rio Grande) como do lado oeste (Arroio Grande) do histórico canal.
Sem entrar na discussão ambiental, que é matéria que desconheço, e sem querer ser futurólogo, verdade é que a antiga Vila de Pescadores deverá passar por uma total reformulação com a chegada da VCP, e aquilo que sequer se imagina hoje em Santa Isabel - agitação, desenvolvimento, expansão... – será apenas uma questão de tempo, para alívio de alguns dos seus moradores e desespero de outros, acostumados a calmaria do lugar.
Emancipada - e por força dos novos tempos que irá viver - Santa Isabel deverá ter Bancos, Correios, Posto de Gasolina, Hotel, Restaurante, Supermercado, Rede de Internet e também Bailão, Motel e Cabaré, pois afinal ninguém é de ferro.
Ah, e, como Novo Município, Santa Isabel terá que trabalhar com administração própria, o que implica em Executivo e Legislativo próprios. Deverá ter um Prefeito é claro, que será votado pelos habitantes do Novo Município nos mesmos moldes daqui, com direito a campanha política, comício, promessas aos eleitores, ranchos em troca de votos, tudo igualzinho a sua vizinha Arroio Grande, afinal quem sai aos seus não pode degenerar.
Depois, que vença o candidato que a população isabelense julgar melhor preparado para o desempenho das funções de Chefe do Executivo; um filho da terra, quem sabe, alguém com raízes, ligado aos pescadores, aos moradores, às pessoas simples que habitam a centenária Vila.
Não sei não, mas algo me diz que o Vereador Luciano Peres já deve estar tirando as medidas do terno...

Um comentário:

Solismar Venzke Filho disse...

Caro Juninho.
Infelizmente o meu querido povo Gaúcho (defino Gaúcho como sendo a miscigenação dos colonizadores portugueses e espanhóis com os nativos índios guaranis) não tem espírito empreendedor. Não corre na sua veia adrenalina suficiente para fazer nascer empresas inovadoras ou cidades do nada com ocorre hoje na região de fronteira agrícola do meu país e ocorreu ontem na região Norte do meu Estado e Oeste paranaense, realizados pelos descendentes italianos, alemães, austríacos e holandeses. Como não temos essa adrenalina toda. Aguardamos passivamente o destino que nos traga a sorte. Parece que ela, a sorte chegará em breve em Santa Isabel, na forma de “cardume de eucalipto VPC” e proporcionará a toda a região a circulação de muita “$eiva”, dia e noite. Espero que os jovens arroiograndenses saibam e se preparem profissionalmente e espiritualmente para esse momento de colheita. A pescaria vai começar.....Vamos comprar rede, tarrafa, linha e anjo no Lino. Pegar a minhoca no arroio. E a cerveja!!! Deixa para volta que o momento é único....Quem viver verá.