sexta-feira, 8 de agosto de 2008

ARNOBIANAS E CABOCLIANAS


Os leitores da cidade se deparam toda a semana com pelo menos dois “movimentos”, duas tendências que costumam instigar a imaginação literária local. Duas vertentes que não têm nome, mas que, surgidas da obra e da arte dos seus criadores – o Arnóbio e o Caboclo – podem ser denominadas, por derivação, de arnobianas e caboclianas, dependendo da origem.
Pois as crônicas arnobianas seriam as minhas preferidas, não fossem os textos caboclianos, ou vice-versa, já que realmente nunca sei com o que irei me deparar a cada vez que abro o Meridional, onde eles costumam se apresentar periodicamente. E toda semana vivo essa dúvida, esse dilema: com quem ficar desta vez? Com o texto perfeito, redondinho, irretocável, do Arnóbio, ou com a escrita transgressora, viajante, simplesmente genial do Caboclo???
Com quem irei me identificar mais? Com as estórias precisas do Professor, onde os tipos mais pitorescos – da Coxilha do Fogo, das 7 Portas, do Gravatá... – se apresentam para nós o tempo todo; ou com as histórias fantásticas, surreais do Compositor, com os seus abduzimentos, os seus radmas, pátmas, e essa mistura impressionante de heráclito com albertino, de empédocles de agrigento com zorginho do eni; essa junção entre os da grécia e os do matarazzo, esse encontro entre os de marte e os daqui...
Desses dois movimentos pouco ou nada se sabe, ainda que eles nos digam muito a cada semana. Eles estão separados e estão juntos, se afastam e se aproximam, se opõem e se atraem, tem tudo e não tem nada a ver.
Penso comigo, porém, que eles se encontram um no outro quase que diariamente, para não dizer sempre. Porque o Caboclo é, na verdade, o melhor dos arnobianos, enquanto que o Arnóbio é um perfeito cabocliano; tão diferentes que acabam por se parecer - impactantes como tudo que é absurdamente grande.
Mas e o leitor, de quem será afinal? Da escrita milimétrica ou do risco transgressor? Do enrolado ou do palheiro, do fusquinha ou do corsa, da figueirinha ou do capão das pombas...
Poesia concreta ou abstrata? Métrica livre ou decassílabo? Prosa caótica ou realismo? Com quem ficar, enfim, entre esses movimentos que provocam a todos - leitores e escribas – e nos levam a transitar pelos labirintos e corredores mais improváveis desta paróquia.
Qual deles seguir, afinal? Na busca de uma resposta, eu permaneço repetindo (e desdizendo) semanalmente: as caboclianas seriam as minhas preferidas, não fossem as arnobianas, ou vice-versa, ou nada disso, ou muito antes pelo contrário...

4 comentários:

Ricardo Souza disse...

Quero te pedir que sejas portador de minha súplica para o Arnóbio, perguntando a ele por quê ele não atualiza mais o blog que criou na Internet. É a única forma que os admiradores de sua prosa possam se deleitar com suas histórias, pois nós que estamos longe e não temos acesso ao Jornal Meridional não temos outra forma de acessar as Arnobianas. Diz prá ele deixar de ser preguiçoso ou aprender a lidar com esta tal de internet.

Pedro Jaime Bittencourt Junior disse...

Carlos.
As tuas palavras são as minhas, literalmente; idem, ibidem e tribidem.
Só não posso pressionar (mais) o Zanottas porque sou meio cúmplice na montagem da página dele aqui na internet.
Mas, realmente, mesmo ele não lidando com a net, só a preguiça justifica (?) que ele não mande novidades arnobianas até mesmo para os seus "prepostos" postarem no blog.
Por falta de súplica destes é que não é; sou testemunha, garanto.
De qualquer modo, fica ele mais uma vez requerido no feito; e com prazo sumaríssimo para apresentar defesa, ou - o que seria mais justo - pagamento da dívida (ainda que parcialmente) com os leitores.
Fica dado o recado em nome dos arnobianos.
Um abraço.

Solismar Venzke disse...

Reforço o comentário do Ricardo. É uma pena o Arnóbio não atualizar seu blog. Ficamos com saudades das (his)estórias fantásticas deste maior contador vivo de causos desse chão sulista. Peço, na gratidão de ser arnobiano, atualização das crônicas. Tenho dito....

Pedro Jaime Bittencourt Junior disse...

Para glória dos arnobianos e satisfação geral da paróquia, a página deverá ser mesmo movimentada nos próximos dias.
Aguardemos, pois.
Abraço.